Quando é a hora de trocar de emprego e de arriscar uma mudança de ares? Existe algum momento certo para fazer isso? E sobre a stack que estou utilizando hoje, será que devo arriscar e seguir naquela outra tecnologia que eu tenho estudado, gostado e trabalhar com ela em alguma empresa que já a utiliza? Existe alguma coisa que possa nos ajudar a enxergar que é uma boa hora para realizar algum tipo de mudança em nossa carreira?

O início de tudo

Faaaalaaaa Gaaaleeeeraaaaa, quaaanto tempoooooo!! Sim, eu realmente estava com saudades.

Queria pedir desculpas por este tempo que fiquei sem fazer nenhum post, espero que durante este post fique mais claro o motivo da ausência :D. Aconteceram uma série de acontecimentos e mudanças deste o meu último post, e de antemão, agradeço imensamente a cada um de vocês, leitores e leitoras, por todo o apoio e divulgação. Foi tão sensacional, tão sensacional, que eu acabei escrevendo este mesmo conteúdo para o blog do Imasters :D :D :D. Foi uma felicidade e um acontecimento surreal, fiquei muito muito feliz… Muito em breve, teremos a parte 2 do arquivo da série sobre Flux!

Sem mais delongas, o post de hoje é um assunto que venho pensando a um bom tempo(muito tempo mesmo), e que promete(ou não) ser polêmico. Este com certeza foi o assunto que mais pensei em aborda-lo e de iniciar a escrita. O objetivo maior é que possamos criar um bate papo saudável onde todos possam compartilhar suas experiências sobre o tema. Então #Siimbora pro post.

Ainda falando um pouco sobre as coisas que aconteceram nos últimos 3 mêses, acabei tendo um pequeno susto com a saúde, então precisei me cuidar mais. Felizmente nada grave e já estou 100%. Uma outra coisa marcante que aconteceu, foi a minha mudança de emprego para o 4YouSee Digital Signage, uma empresa focada em Digital Out Of Home, um desafio totalmente novo na carreira e que tenho tido a oportunidade de aprender bastante. Além de uma mudança de empresa, também foi uma adição/mudança de stack: sempre atuei como full stack, e na parte do back-end eu sempre utilizei PHP. Agora, estou usando NodeJS.

Também participei e palestrei em alguns eventos neste período, como o GDG Tech Tour Caruaru e o Dev Weekend Diamatina (no momento que comecei a escrever este post estava viajando par a cidade de Diamantina :D :D). Em ambos os eventos, falei sobre o Polymer 2, então devo trazer conteúdos sobre ele aqui no blog também.

Neste período, pude participar como mentor no NodeSchoolBH e durante o almoço, percebi que a palavra mudança era uma constância no assunto entre as pessoas que estavam participando do evento (nesta época eu ja havia iniciado a mudança para o 4YouSee). Fosse mudança de emprego ou de stack, era algo bastante comum, muito mais do que eu imaginava, e conversamos muito sobre isto neste dia. Voltei para casa com esta palavra na cabeça, e começaram a me surgir alguns pensamentos: “….Nossa, eu troquei de emprego 2 vezes nos últimos 2 anos.”. E ao compartilhar este tipo de pensamento com meus amigos e colegas que desenvolvem software, percebi que eles também passavam por este processo de mudança, fosse de emprego ou de stack tecnológica, como uma certa frequência, e que isto não estava acontecendo apenas comigo.

Fiquei me perguntando: Por quê eu mudei de emprego 2 vezes num espaço de tempo de 2 anos? Por que essa mudança é tão frequente entre as pessoas? Existe alguma coisa que possamos levar em conta na hora de mudar?

Como não vi nada parecido, decidi então escrever sobre algumas coisas que eu vejo,vivencio,percebo e acredito que sejam relevantes(ou indícios) para que a mudança aconteça.

ATENÇÃO: Todas as ações descritas abaixo refletem apenas o meu pensamento, vivência e de acordo com as minhas experiências vividas até agora. Não leve nenhum dos pontos levantados como instransponíveis e verdade absoluta, não é o objetivo deste post cravar uma mensagem em pedra. Somente você pode determinar se é a sua hora de realizar alguma mudança ou não.

Amor por desafios

Esta pode ser uma frase um pouco clichê, mas ela é 100% verdadeira. Em muitas(ou quase todas) situações, a difícil tarefa de se criar software é destinada a resolução de problemas. Desenvolvedores amam resolver problemas, pois são tarefas que a pessoa sabe que vai precisar se dedicar, estar plenamente a par do problema, levantar quais são as melhores tecnologias e ferramentas para a solução daquele problema, para aí sim, fazer a melhor solução possível, que seja viável para a sua empresa e dentro do prazo esperado pelo cliente, para que aí sim, possa usufruir do sentimento único quando se consegue entregar uma solução para um determinado problema.

Quando uma tarefa, ou um conjunto delas, começa a ficar rotineiro e com um nível de exigência menor, automaticamente o desenvolvedor nao investirá a mesma energia e vonntade nesta tarefa, como antes. Ele vai “perdendo” o interesse, até que este seja completamente eliminado, chegando ao pior cenário, o da desmotivação. Se um desenvolvedor perdeu a motivação para se trabalhar naquele projeto, ele irá buscar algum tipo de mudança.

Passei por isso em uma das empresas que trabalhei e por muito tempo, eu estava fazendo sempre as mesmas coisas: os problemas já eram conhecidos, as features solicitadas eram parecidas com outras que foram feitas antes … não estava aprendendo, nem evoluindo. E por mais que eventuamente surgisse alguma demanda diferente, que me revigorasse novamente, em pouco tempo a rotina das tarefas já conhecidas retornava. Quando eu realmente tomei coragem para mudar e na primeira semana da nova empresa que eu havia ido àquela época, já tinha aprendido zilhões de coisas novas, e vi como os desafios eram maiores e motivadores, e como que cada tarefa feita entregava um valor significativo ao produto, decidi criar uma regra para mim mesmo: “Por mais legal e incrível que seja o lugar que você está, se você parou de aprender e evoluir, é hora de buscar um novo desafio”.

Envolvimento com o Produto(ou projeto)

Este quesito tem total relação com o seu perfil como desenvolvedor, e sua convergência com os tipos de empresas(projetos) que temos na nossa área: agências, software house ou produto. Identificar o tipo(s) que você mais se identifica será muito importante para o seu crescimento e evolução na carreira. Já trabalhei nos 3 tipos de empresa, hoje trabalho com produto e sou muito ligado a este tipo de cultura e projeto. Acho incrível como que a cada feature ou correção de bug entregue, o produto ficar cada vez mais melhor, mais engajável e atingindo os objetivos da empresa.

Todo desenvolvedor gosta de criar algo. That’s it. Porém, existe algo que potencializa e muito o seu poder de criação, é saber o “por quê” ela foi necessária. Quando alguma feature é solicitada, com certeza ele vai saber por quê ela se fez necessária, consequentemente irá querer opinar sobre uma melhor forma para fazê-la. E para isto ocorrer, o por quê daquela tarefa precisa estar muito bem alinhado. Em alguns cenários, infelizmente isto não acontece, devido a uma série de elementos, como o não completo alinhamento das evoluções do projeto, de alinhamento das tarefas com a expectativa do cliente, do não alinhamento do time com o progresso das tarefas, entre outros motivos.

Quando não se conhece completamente o cenário ou a importância, fico muito difícil de se oferecer uma solução ideal para o problema. Por consequência, aquela demanda sempre acaba retornando para a sua fila de atividades. Vivenciei muitas situações parecidas e era algo que sempre me fazia refletir, se o problema estava comigo, por não ter entendido de forma plena o que precisava ser feito, ou se o problema estava nos processos, na forma como as coisas aconteciam e como as demandas eram repassadas. Meu conselho para situações como esta: sempre converse com seu time, os líderes do projeto e com o cliente. Quanto mais inserido no contexto você estiver, melhor será a sua visão sobre o problema, consequentemente mais efetiva será a solução que você poderá desenvolver :D

Processos bem definidos(cultura)

Além do envolvimento com o produto, é importante estar por dentro de todos os processos da empresa onde você está, workflow do seu time e sobre todos os processos(ou cultura) que fazem com que as coisas aconteçam. Ninguém gosta de confusões ou de se terem partes do processo de trabalho que não estão bem preenchidas, perdidas ou não tão claras. A falta da clareza das tarefas, a não utilização de algum fluxo de atividade para criação de novas tarefas, a dificuldade de um novo integrante do time conseguir gerar valor num tempo hábil junto ao time e a falta de detalhamento das features no projeto podem ser exemplos que ilustrem esta situação.

Então, caso você identifique que algo não está tão legal, ou que poderia estar melhor, não hesite: converse. Sim, é uma habilidade extremamente entre os membros de uma equipe de desenvolvimento e criação de softwares, somente o diálogo traz clareza para todos a sua volta. Seu colega de time nunca irá saber que você está com alguma dificuldade, a menos que você o chame e reporte isso.

Viu alguma tecnologia/ferramenta/metodologia que pode ser interessante para sua equipe? Apresente a sua sugestão. Converse com seu líder e com sua equipe, faça uma pequena palestra mostrando os benefícios e o que traria de valor ao projeto ou ao produto. No caso de propor alguma mudança no processo, mostre como a sua sugestão poderia gerar valor a todos do seu time. Acha que seria muito legal adicionar VueJS, React, Polymer ou qualquer outra tecnologia ao produto? Faça uma PoC e mostre aos seus colegas de equipe, mostrando as features daquela tecnologia e como elas seriam benéficas no seu projeto, quais problemas atuais vocês possuem e que seriam sanados adotando esta tecnologia.

Loucos por Conhecimento

Um outro ponto que é 100% verdadeiro, e que eu não poderia deixar passar despercebido: desenvolvedores são loucos por aprendizado. São pessoas que a curiosidade e o desafio as movem. Ao chegar em casa após um longo dia de trabalho, ou até mesmo nos finais de semana, sempre procuramos, e gostamos, de investir nosso tempo livre vendo algum projeto open-source no Gihub, fazendo algum teste como alguma nova tecnologia/paradigma/ferramenta, criar projetos pessoais, ler algum post técnico, acompanhar as newsletters, ir a eventos … (Sim, eu usei a palavra “investir” ou invés de “gastar”, afinal, quando você dedica tempo a estes tipos de ações, você esta investindo em você mesmo :D).

De 2015 para cá, tenho estudado bastante sobre Javascript e todo o ecossistema desta incrível linguagem. No meu último emprego, na mLearn, tive a oportunidade de trabalhar num projeto incrível em Ionic e foi uma oportunidade surreal poder ter este contato diário com o Angular e tantas outras tecnologias do mundo Javascript. Isto me abriu a mente para um universo incrível e gigantesco, que não estava ao meu redor até então. A cada feature entregue percebia que estava conseguindo evoluir na linguagem, consequentemente ajudando o produto a ser melhor.

Estava decidido que queria muito evoluir neste ecossistema e na linguagem, mas para que isto acontecesse, precisaria ter mais foco,dedicação e contato com a linguagem, e uma das coisas que eu sei que poderiam me ajudar era utilizar Javascript também no backend, através do magnífico NodeJS, onde eu sempre havia utilizado PHP. Apesar de fazer alguns estudos e pequenos projetos pessoais com o NodeJS, eu sabia que somente iria poder aprender mais, se eu tivesse um contato diário com ele.

Decidi então que iria fazer o máximo de projetos possíveis com ele, conhecer mais sobre o ecossistema e o mercado, para que eu tivesse a oportunidade de utiliza-lo diariamente. Eis que esta oportunidade chegou, e este foi um dos motivos para realizar a mudança de emprego(e de stack) e ter ido para o 4YouSee, juntamente com o desafio de trabalhar num projeto totalmente diferente do que tudo o que eu ja havia feito.

Caso você também esteja vivendo um momento parecido, e queira trabalhar com alguma nova tecnologia que esteja estudando, estas seriam as minhas dicas:

  • Converse com seu time e líderes sobre os benefícios daquela tecnologia e tente fazer um experimento com ela.
  • Faça projetos pessoais com ela.
  • Conheça as empresas que já a utilizam.
  • Estude bastante sobre ela.
  • Vivêncie o ecossistema: vá a eventos promovidos pela comunidade, fóruns, slacks…

Percebi que quero mudar, e agora?

Caso você também esteja cheio de perguntas e dúvidas, e quer efetuar algum tipo de mudança, listei algumas dicas que podem lhe ajudar nesta tarefa:

  • Não tenha medo. That’s it.
  • Acredite em você e no seus instintos.
  • Arrisque. Tenha sempre o seguinte pensamento: O que de pior pode acontecer se eu fizer isso?
  • Converse: não tenha medo de fazer sugestões e de propor o novo.
  • Caso queira mudar de empresa, ou tenha recebido uma proposta, procure conhecer mais sobre a empresa, sua cultura, o produto. Tente conversar com alguma pessoa e pergunte sobre como é trabalhar lá :D
  • Avalie o seu momento, sua vida e sempre pondere. Tenha sempre a clareza do motivo do por quê você esta realizando esta mudança.
  • Esteja sempre alinhado com seus objetivos e suas metas. Suas ações lhe levarão ao êxito.
  • Quer iniciar algum novo aprendizado ou algum novo hábito? Comece pequeno e seja constante.

Agora a dica mais importante: Somente você pode decidir o que é melhor para você!

Considerações Finais

Bem pessoal, este foi o post mais difícil que eu ja tive que fazer. Pensei muito se eu deveria ou não fazê-lo, mas fui incentivado pelo objetivo maior, que era transmitir um pouco do que eu já vivi e tentar ajudar as pessoas de alguma forma. Como disse no ínicio do post, nunca será o objetivo deste conteúdo ser uma bala de prata ou verdade absoluta. Apenas você é capaz de determinar se está na hora de fazer algum tipo de mudança em sua vida, em sua carreira. Vou ficar muito feliz se alguma coisa que eu tenha dito neste post tenha feito sentido para você e que lhe ajude em algo, para tomar algum tipo de decisão de realizar alguma mudança, seja de carreira, stack, atitudes, hábitos ou em sua vida.

Para finalizar, aquele momento altamente inspirador de cada post, onde deixo alguma mensagem de incentivo, sobre algo que li e que achei útil em algum momento E a frase deste post é:

Planejar é muito importante, mas não vai tirar você do estado em que você está. Execução SIM.
(Túlio Faria, Canal DevPleno).

OBS: Agradecimento especial ao amigo Lucas Andrey pelo apoio, força e incentivo para poder escrever este post :D

Gostou do post? Falei alguma besteira? Deixe sua opinião nos comentários, ela é muito importante. Compartilhe esse post com seus amigos nas redes sociais, e com os coleguinhas do trabalho :D